Pedro L Cipolla
A sorte persegue a coragem
Capa Textos Áudios Fotos Perfil Prêmios Livro de Visitas Contato Links
Textos
O último trem da solidão

O último trem da solidão

Tudo passou
Você passou,foi embora
Nada sobrou, e agora
Vivo do que me encantou
Vivo de um sonho de outrora
Ser feliz ,viver em paz
Sem saber se um dia viveria outros
ou se jamais.
Agora não mais importa
O amor saiu pela janela,a felicidade pela porta
Onde está o que perdi
Pois à vida ,agora só existe numa esperança morta
Chegou o tempo de viver calado
Vivendo um futuro perdido
Para um amor que é só passado
Repassado,morto e enterrado
Se voltasses eu não iria te querer de volta
Mesmo que me implorasses de joelhos
Eu saberia te expulsar da minha porta
Mesmo se pondo a chorar tantas vezes
Quantas te expulsaria ,pouco importa
Que a tua vida siga a armadilha do teu destino
De quem não ama mas finge amar perdidamente
Que pondo aos teus pés ingenuamente
O amor que pensava ser correspondido
E agora abandonado triste e magoado
Um coração tolo,de tanto ter sofrido
Vive agora totalmente abandonado 
Por esse amor bandido
Sofres e sofres porque queres
De tanto fazeres os outros de capacho
Deus há de te fazer sofrer como tanto aos outros fizestes
Amando alguém que como você não preste
Que baixo,que baixo
Um dia saberás porque tanto choras
Pois agora de ti nada mais sobra
Pois tudo passou ,acabou,foi-se embora



 
Pedro L Cipolla
Enviado por Pedro L Cipolla em 09/10/2020
Alterado em 16/10/2020
Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários